Legalisação do Mate Artesanal

MunterMate

Estamos orgulhosos de ter o apoio da German Mate drink Manufacturers que assumiram um nível de responsabilidade empreserial escasso no mundo capitalista.

Também notável é o Frohlunder UG, que faz parte do Premium Collective e dos produtores do MunterMate, optaram por pagar 10 € acima do preço estipulado por quilo de Mate utilizado na seu refrigerante. Foi oferecido 13 € /kg e sem ser requisitado o Munter Mate pagou 23€/kg, e o mais impressionante, nunca colocaram em propaganda ou ná pagina da internet que fizeram isto. Muito semelhante a atitude da Club-Mate que não faz propaganda e não oferece nenhum patrocínio ter investido no projeto de reflorestamento da Meta Mate, e não ter anunciado ou usado esta informação para promover uma imagem de responsabilidade ambiental.  O dinheiro foi  Em cooperação com Munter Mate e com a associação Mate estamos a criar padrões de produção que visam legalizar a produção artesanal de mate.

Em Dezembro de 2014, Fabricio e dois agricultores de Mate participaram em um seminário da EMATER qualificando os produtores a legalizar a sua produção autónoma de Mate. O Seminário, Hospedagem e Transporte foram pagos pela Meta Mate então. Um plano, de 5 anos, será desenhado a partir deste seminário para criar os próximos passos para as famílias produtores de mate, em resitência, a oficializar a sua produção sem ter que ceder aos padrões industriais. As taxas de participação foram maioritariamente cobertas pelas receitas provenientes do Mate usado para a última produção de MunterMate.

No mesmo espírito, certos coletivos em Berlim têm levado a venda do Premium Mate (aka MetaMate Moida Grossa) com transparência, esclarecendo o valor que cada pacote vendido reverte para este projeto.

Em Janeiro 2015 damos entrada no primeiro pedido de alvará sanitário para a família Gehm de Seberu. A resposta, ou melhor , não houve resposta até nosso retorno em Dezembro de 2015 a entidade, e seguinte visita a secretaria da saúde em Porto Alegre. Agora com auxílio do Prefeito de Seberi, a Associação Mate reuniu professores, advogados, engenheiros e produtores para preparar a documentação necessária para proceder com o pedido do Alvará Sanitário da produção artesanal da erva mate. Uma vez conseguindo para primeira família extenderemos este benefício apoiando as outras 14 famílias no estado a fazerem sua legalização.

 

Anúncios